Sobre as músicas que ouço e músicas que não ouço mais.

Ao ler um post aqui eu relamente me motivei a escrever sobre o assunto, eu já até tinha pensado em fazer isso mas de fato nunca tinha tido tal inspiração.

Lembro-me que, assim que comecei o primeiro ano do ensino médio (pela segunda vez) eu ouvia coisas como Guns N' Roses, Ramones e Nirvana e achava isso tudo o máximo, no sentido de ser "as" bandas, não poderia existir nada melhor. Lembro de ter uma colega que amava Black Sabbath e Ozzy Osbourne incodicionalmente e, eu já tinha ouvido alguma coisa, tal como Iron Maiden, mas nada muito relevante. Ainda nesta mesma época eu meio que reprimia esses meus gostos, não me interava junto aos colegas que efetivamente gostavam disso, vivia apenas no meu mundinho junto das tais bandas. O KaZaA era o meu melhor amigo nesta época, baixava músicas de bandas de que meus colegas tanto falavam, mesmo sem conhecer ao certo do que se tratava. O ano seguinte foi o ano de minha "libertação musical", demonstrei do que eu realmente gostava, comprei meu primeiro par de All Star e até meu auto-denominei Punk, Anarquista ou Grunge (céus, como conhecia pouco sobre o que eu falava ou tinha como "ideais") e queria ser como alguns desses símbolos dessas coisas, idolatrava-os como veradeiros deuses, quando hoje, vejo o quão boçais foram, tal como Kurt Cobain ou as atitudes estúpidas de Axl Rose, mas na época, tudo era perfeito e Cobain tinha conseguido mais um adolescente retardado para sua legião de fãs espalhados pelo mundo. Em mais ou menos três anos, eu não muito desenvolvi a ponto de abrir a cabeça e ouvir coisas novas, nem que fossem sub-genêros dentro do Rock, estava um tanto quanto convicto que isso era o melhor e nada me faria mudar de opinião. Por esta mesma época conheci o Tedy, foi nisso que conhceci bandas como Slipknot e Cradle of Filth, entre outras, algo em torno de mais umas quatro, cinco bandas. Foi a época em que me entorpeci ouvindo Slipknot, o visual deles me agradava, as músicas soavam-me bem, era mais uma para minhas bandas favoritas[?]. Pouco tempo depois disso, conhcei o Max, foi a partir daí que meu gosto musical sofreu a reviravolta que definiria o que ouço hoje. Foi aí que conheci J-Rock, Lacrimosa, e Metal, como Blind Guardian, Rhapsody, entre outros. Logo, mudanças radicais aconteceram a ponto de eu mudar muito as coisas. Bem, o que ouço atualmente é fruto das últimas bandas que conheci, até mesmo porque elas tem mais qualidade musical que as anteriores. Das antigas, ouço e raramente é algo de Iron Maiden, nada além disso, bandas singulares no cenário musical (pelo menos ao meu ver) como Nirvana, de nada fazer falta, pelo contrário, e até melhor que eu não ouça as mesmas, pois, conhecendo bem as letras das mesmas, são letras horríveis, mal escritas e afins… To be continued…

Uma resposta to “Sobre as músicas que ouço e músicas que não ouço mais.”

  1. http://christmas-gift.christmasidea.biz/christmas-gift-idea—.html christmas gift idea [url=http://christmas-gift.christmasidea.biz/christmas-gift-idea—.html]christmas gift idea[/url]
    http://christmas-gift.christmasidea.biz/christmas-gift-for-man—.html christmas gift for man [url=http://christmas-gift.christmasidea.biz/christmas-gift-for-man—.html]christmas gift for man[/url]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: