O que a “Terra da Garoa” fez comigo

Essa minha viagem para São Paulo me fez ter uma visão totalmente nova a respeito da cidade, antes de ir pra lá, eu tinha convicção de que, -por eu ser um eterno apaixonado pela capital do meu estado- que o dia em que eu fosse sair de Porto Alegre, seria somente para outro país, morar em outro estado estava totalmente fora de cogitação, até eu desembarcar em Congonhas naquela manhã de 13.07, quinta feira, do avião a cidade já me encheu os olhos, o tamanho, o movimento intenso, uma grande metrópole, o habitat perfeito para um bicho da cidade (grande), que prefere o cheiro da fumaça dos ônibus e automíveis ao cheiro de mato e das flores, que prefere o som das buzinas e helicópteros ao som dos pássaros e do rio que passa. São Paulo é uma cidade cativante, intensa em todos os sentidos. A cidade é aquele caso, de que se ama, ou odeia a mesma, eu fiquei com a primeira opção, obviamente. O ritmo frenético que ela tem, a facilidade com que pudemos dispor de qualquer coisa é incrível, a facilidade de transporte e o preço ser extremamente em conta, para se deslocar de um ponto a outro da cidade (entenda-se metrô).  Fui embora na segunda feira pela manhã com uma vontade enorme de ficar, afinal, São Paulo é a Capital do país, Brasília é só sede do governo, não tem comparação. Sei que, existe o fator da violência, (PCC e afins), a dificuldade para encontrar um emprego, entre outros, que São Paulo tem seus problemas, mas, qual cidade que não tem? Não existem mais lugar ‘seguro’ e ‘tranqüilo’ no país, o país em si está ‘sucateado’, então, não seria impecilho para mim isso. Já sinto falta de pegar o metrô com tantas outras e disputar um espacinho em pé, sinto falta do sotaque paulista (olha só, eu dizendo isso), dizendo “Meu, eu não sei como você fez isso”, por exemplo, sinto falta do ar paulistano, incrívelmente, é bastante diferente, sinto falta de amizades (tá, tem uma em especial) que fiz por lá. . . Sim, a cidade me ganhou, totalmente, me conquistou e, se tudo (de acordo com meus planos) der certo ano que vem (ou mais cedo), eu estarei voltando, e, futuramente, quem sabe mais um número para o censo paulista.  Eu poderia falar mais, expressar meu êxtase por ter conhecido a cidade, mas, como boa parte de quem me visita é de São Paulo, entende o que eu quis dizer com esta postagem, o que deixei de dizer, com a certeza de que teria muito mais a dizer. Sim, sou mais um que ama São Paulo, ou quem sabe, “aprendeu a amar São Paulo”.

Aproveitando o gancho: Alguém percebeu que, eu troquei o título do blog?! De “Meine persönliche ungewöhnliche Welt” para “Die Frau der Wanze. Eine Geschichte sehr ungerade“, cujo título novo significa algo como “A Esposa do Inseto. Uma História Muito Estranha“. Sim, não é para ter sentido mesmo😀

2 Respostas to “O que a “Terra da Garoa” fez comigo”

  1. charimann, adorei mesmo o post, mas sou suspeito né. rss
    olha, a minha namorada é do sul, ela conhacia quase nada de sampa e achava que tinha todos os motivos do mundo pra não gostar, mas agora ela se encanta como voce. é bacana estar aberto a coisas novas e diferentes, mas porque o seu DNA gosta disso, tem gente que não vai gostar nunca. belo post. rss abração.

  2. Bacana o post. Vê-se sinceridade no que vc escreve. E vc tem razão. Embora more em Florianópolis que ainda é um pequeno paraíso, tem-se que tirar o chapéu para a pujança de São Paulo que é, sem favor, uma das maiores metropoles do mundo. É o centro do Brasi.

    abs
    Alúizio Amorim
    http://oquepensaaluizio.zip.net

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: