A Literatura das Massas

Que o povo tupiniquim não tem o hábito, conseqüentemente o gosto pela leitura não é nenhuma novidade, mas quando o assunto proposto no livro é de cunho banal, ou melhor ainda, como é o caso de Raquel Pacheco (A.k.A. Bruna Surfistinha) [que é o tema central deste artigo] que é produto da mídia cai na graça do povo e, conseqüentemente, o povo lê, cultura inútil em suma. Bruna Surfistinha acertou em cheio em como continuar conhecida após ter se aposentado da profissão de prostituta (ou Garota de Programa, como queiram) blogueira, lançar um livro, porque não? A “ídolo pop“, musa da masturbação de vários jovens, que, como mencionei antes, mantinha um blog, onde escrevia relatos sobre seu trabalho, contando sobre suas relações com clientes, algo bem diário mesmo. Após a aposentadoria, o livro veio a calhar, se o blog não trazia mais seus “contos eróticos”, lançar um livro com muitos deles reunidos, alguns “remasterizados” (entenda remodelados) seria uma boa idéia. E efetivamente foi. Depois do livro, a menina simplesmente estourou na mídia e elevou as vendagens do seu livro, lembro que, na época disso, muitas pessoass, de foruns que participo, procuravam a versão em .pdf do livro. Todos tinham a curiosidade de saber o que estava naquelas páginas, confesso que em mim, não despertou a menor vontade de ler o mesmo, seria algo como ler contos eróticos de uma pessoa pública, nada mais. A Edição 402 de 31 de Janeiro de 2006 da Revista Época trazia quem na capa? Um doce pra quem respondeu Bruna Surfistinha, sem pestanejar. Uma reportagem que mais parece uma retrospectiva, pequenas informações a respeito da garota e, informações e trechos do seu livro, aqui tem um resumo do que foi publicado na versão impressa da revista.

Uma matéria da Folha Online de 16 de Novembro de 2005 trata da entrada do Livro do Ranking dos mais vendidos, ficando em sétimo lugar (numa lista de dez títulos), posição abaixo do Código da Vinci, de Dan Brown, por motivos óbvios. Entre os dias 7 e 13 de novembro de 2005 foram vendidas 328 volumes somente na rede Siciliano.

Raquel Pacheco fez seu nome, além de ter seu nome e livro veículado em vários jornais e revistas, concedeu entrevistas em vários programas de televisão, tal como o Programa do Jô entre outros. Um tempo depois de lançado o livro, foi a vez de ser lançado um Audio Book com as histórias sendo narradas, confesso que, quando encontrei um link “frio” para download, baixei o arquivo (até mesmo porque eu não pagaria por isso) e, fui conferir tais relatos para saber pelo menos como era. E para minha surpresa, era pior do que eu tinha imaginado, da uma hora e pouca que tem o audio book, nao consegui ouvir por mais de quinze minutos, a voz irritante e as histórias enjoadas me fizeram fehcar o player e não continuar a ouvir tudo.

Além disso, tem dois filmes Pornográficos lançados, Aventuras sexuais de Bruna Surfistinha e suas amigas no Sex-Shop e 3x com Bruna Surfistinha, desses dois, confesso que já assisti pequenos trechos do primeiro e, não vi nada nessa mulher, inclusive os seios parecem de plástico. Mais coisa para encher os bolsos da menina, se vende? É claro, se a juventude já pirava com os relatos da moçoila o que dizer de ver ela “em ação”?

Não condeno Raquel Pacheco por ter feito tais publicações, ter feito coisas para crescer no cenário nacional, ela sim foi inteligente e esperta, escolhendo bem como ser conhecida quase que instantâneamente, mas o problema está nos leitores, encontram aquilo que desejam ler na prateleira dos livros nacionais, os filmes nacionais trazem aquilo que querem ver, mas o que o povo gosta de ver? Sexo, todo mundo sabe e é o que mais vende (e, a imagem que vendemos do país lá fora) porque, se temos filmes com forte apelo sexual, tal como nas novelas e na principal festa do país, porque não ler um livro que trata exatamente do mesmo assunto?!

17 Respostas to “A Literatura das Massas”

  1. Eu, realmente não a condeno. Se tivesse um bando de otários que pagassem pra ler um livro escrito por mim, onde eu contasse um bocado das minhas nóias, eu também escrevia. (rsrsrs) Fico irritada mesmo é com o público, que ainda dá ibope pra esse tipo de coisa. Mas precisamos dar também um desconto. Porque o público que consumiu isso é formado por adolescentes que precisam experimentar de tudo um pouco, até terem suas opiniões formadas.

  2. Falaê Charimann! Tudo bem? Tomara mesmo que a sua visita lá no Blog do Noel seja a 1ª de muitas! Fico feliz me saber que gostou do meu blog. O seu também é bem legal! E não é só para fazer média não. O conteúdo é de qualidade.

    Sobre o seu post… Bom, a era Bruna Surfistinha já passou. Eu não li o blog dela e muito menos baixei o vídeo, mas confesso que assisti alguns vídeos da moça (nada de mais diga-se de passagem). A puta do momento é a Madame Bela (www.madamebela.blogspot.com) meu amigo. Fica aí a dica, isso se você já não conhece.

    Abraço!

  3. Charimann Amigão,
    Olha só, a Europa está cheia de livros assim, os EUA também, onde existir democracia vai ter gente publicando essas merdas e gente lendo também. Só que por lá, o mesmo leitor que lê uma porcaria dessa lê, muitas outras coisas também. Já aqui, o cara lê a Surfistinha, a coluna de futebol no jornal e sai por aí chamando todo mundo de idióta e otários. rsss

  4. é triste isso… muito triste…

  5. Sexo é bom e eu gosto, assim como as pessoas normais (eu acho). Falar sobre isso é uma coisa natural, mas não que se tornasse um livro sobre o tema uma explosão em vendas. Eu recebi o livro dela por e-mail, e de bom não tem nada de mais. Agora o que deixa a desejar e lamentar é que apenas livros pobres como esse é que muita gente lê, refletindo dentro e fora do país, como você bem lembrou, a “cultura” predominante…

  6. Gostei do seu blog e desse post e, como disseram em um comentário acima, não a condeno. Cada um escreve e faz o que quer, se editoras compram e publicam esse tipo de material é porque sabem que, conforme ficou provado, ele tem público, nem que sejam pessoas querendo ver apenas o quê diabos o livro tem para vender tanto. Também não condeno quem compra, afinal não compram Playboy e similares? É o mesmo. O problema disso tudo é que, com essa publicidade toda e com tantas vendas, o estereótipo de país de putarias mil aumenta e, com isso, fecha-se ainda mais o mercado pra novos autores que escrevem ficção, fantasia, poesia, ‘chick lit’, policiais e outros estilos que não tenham tanto apelo sexual/erótico e isso sim é uma pena pro Brasil, pra sua cultura e, óbvio, pros novos escritores em busca de publicação.

  7. olha… eu li o livro e até gostei….
    eu não achei assim tão apelativo não…
    escrevi esses dias no meu blog
    eu esperava algo muito mais vulgar, e encontrei muito da história pessoal dela…
    achei interessantes
    beijoos

  8. O pior do brasil é que muitas vezes a gente não tem o bom exemplo… sem falso moralismo… ela é uma putinha feia, uma moça ordinária… não é uma inteligência, nem tampouco uma vítima da sociedade ou um g~enio imcompreendido… é um produto de mídia dos maos rasos que apareceram nos últimos anos… é vergonhoso !!!

  9. O pior do brasil é que muitas vezes a gente não tem o bom exemplo… sem falso moralismo… ela é uma putinha feia, uma moça ordinária… não é uma inteligência, nem tampouco uma vítima da sociedade ou um genio imcompreendido… é um produto de mídia dos mais rasos que apareceram nos últimos anos… é vergonhoso !!!

  10. Depois quando eu digo que a grande massa brasileira não tem cultura nenhuma ainda vem gente que quer colocar a culpa na pobreza. Oras, pobreza nunca foi sinônimo de falta de cultura, não é a toa que existem tantos museus, exposições que a entrada é gratuita.
    Brasileiro é preguiço, falta-lhe nessa gente o mínimo do bom gosto.
    Essas coisas me deixam triste.
    Ótimo post e blog idem.
    Aproveitei e linkei seu blog no meu ok?

    Beijos

  11. Eu vi ela no “Pânico Na Tv” esses dias, a primeira pergunta que me veio na cabeça é como ela topa fazer um quadro com Silvio e Vesgo, e pedir pra ser zuada!

    Mas quando chegou na metade da matéria [pasmêm!] eu percebi que além de realmente gostar de ser zuada ela é meio estranha, sei la, estranha mesmo.

    Ah, vai saber.

    Mas não condeno ela não. Parabéns pra ela por escrever um livro e pápápá.

    =]

    Abraços!

  12. Eu lembro mesmo da época do blog dela.. E cheguei a entrar pra ver o “porquê” de tanto alvoroço.. compartilho da sua opinião.. Nada de tão espantoso ou novo…
    Sexo, só sexo!
    Tem gente mesmo que gosta de ler, assistir e ouvir alem de fazer..
    Tem gente?
    Ôôô coloca gente nisso aí né?!
    Jô Soares se rendeu a entrevistá-la..
    Será que a fonte da garota esgotou ou vai ter mais?
    Parabens pelo blog!
    Gostei!

  13. É, o problema não foi ela ter feito esse livro, o problema é a população ainda ler algo do tipo. Horrível. Ao invés de lerem algo interessante, com alguma cultura, não, lêem algo que não vai adicionar nada em suas vidas. Brasil, Brasil…

  14. Uma coisa, precisamos admitir: se livro, audio book e filme vendem, é por que tem público pra isso, não é? Ou seja: a Bruna apenas aproveitou; na verdade, f*** é esta nossa cultura… ou falta dela!😦

  15. aê, sou muito mais o MEU livro.
    :>)

  16. Eita, qt porcaria….
    tentei ler o livro, mas não consegui passar da quinta página.
    Na verdade eu queria ler p criticar, já que dizem só podemos criticar algo se o conhecermos. Infelizmente ou felizmente não consegui ler, felizmento pq não perdi meu tempo e infelizmente pq como vou falar mal do livro agora???? podem rir, mas eu posso afirmar q tem algo positivo no livro. Estamos cansados de saber q os brasileiros não têm o habito de ler, vejamos essa porcaria como (somente) leitura, pois de literatura isso passa longe………..

  17. Eita, qt porcaria….
    tentei ler o livro, mas não consegui passar da quinta página.
    Na verdade eu queria ler p criticar, já que dizem q só podemos criticar algo se o conhecermos. Infelizmente ou felizmente não consegui ler, felizmento pq não perdi meu tempo e infelizmente pq como vou falar mal do livro agora???? podem rir, mas eu posso afirmar q tem algo positivo no livro. Estamos cansados de saber q os brasileiros não têm o habito de ler, vejamos essa porcaria como (somente) leitura, pois de literatura isso passa longe………..

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: